Águas Continentais

As águas continentais são corpos de água que se encontram em terra firme e estão integrados por dois grandes ecossistemas: Lênticos, formados por águas tranquilas, como lagos, pântanos, represas e mangues, entre outros e Lóticos, formados por correntes de água, tais como córregos e rios. Os ecossistemas lênticos diferenciam-se dos lóticos pela força da corrente, o intercâmbio entre a terra e a água e a quantidade de oxigénio contida na água.

 

Ecossistemas Lênticos

Lagos – os lagos são um bom exemplo de corpos lênticos. Eles se distinguem em três níveis: o litoral (a margem), a zona limnética (parte distante das margens) e a zona profunda (abaixo da zona limnética). A distribuição da vida nos lagos depende em grande parte da disponibilidade da luz, dos nutrientes e do solo.

Os lagos podem ser originados de diferentes maneiras: pelos movimentos da terra (lagos tectônicos), por formações vulcânicas (lagos vulcânicos), pelo deslocamento das geleiras (lagos glaciais) ou quando a água fica numa zona de depressão e não vai directamente para o mar. Quando um lago nasce é designado de “lago jovem”. Com o passar do tempo, inicia-se uma etapa de envelhecimento, que se acentua na medida em que nele se depositam sedimentos. Tal processo culmina no desaparecimento do lago e o aparecimento de um pântano, que finalmente se converte numa zona florestal.
As principais funções dos lagos são:

  • importantes formadores do solo;
  • armazenam grandes quantidades de água;
  • são um recurso natural produtivo;
  • são uma zona de mitigação nas áreas de inundações;
  • representam um habitat com uma grande variedade de espécies de animais e plantas
  • fornecem água doce a plantas, animais e aos seres humanos;
  • retêm nutrientes;
  • regulam os microclimas próximos.

 

Ecossistemas Lóticos

Rios – as correntes lóticas, como os rios, variam de acordo com a velocidade de seu fluxo, temperatura, material em suspensão e outros factores que determinam por sua vez a flora e a fauna ao largo da corrente. Os rios diferem-se dos lagos porque recebem uma maior quantidade de matéria orgânica. É de destacar que, dada a velocidade destes corpos de água, são áreas muito instáveis e irregulares. Isto ocorre porque na parte mais alta do rio o declive é mais acentuado e as águas adquirem maior velocidade. Conforme o declive diminui gradualmente ao perder altitude, o volume de água, a temperatura e opacidade aumentam, a concentração de oxigénio diminui e o solo muda de rochoso a lodoso. É importante mencionar que os grandes rios costumam ser profundos e a velocidade da água é variável de acordo com a temporada das chuvas.

As principais funções dos rios são:

  • recurso natural produtivo;
  • habitat de uma grande variedade de organismos;
  • abastecimento de água;
  • descarga de água em zonas altas;
  • mitigação de áreas inundadas;
  • fornecem água doce a plantas, animais e aos seres humanos;
  • transporte de nutrientes;
  • mobilização de poluentes;
  • regulação de microclimas.